Seu Marcos recebe Projeto de Lei sobre doações de órgãos

por Marta Costa, Assessoria de Imprensa do parlamentar — publicado 21/06/2019 11h24, última modificação 21/06/2019 11h24
Seu Marcos recebe Projeto de Lei sobre doações de órgãos

Foto: César de Oliveira

Com o objetivo de conscientizar a comunidade aracajuana sobre a importância da doação de órgãos, representantes da Central de Transplantes de Sergipe entregaram ao vereador Seu Marcos (PHS) o Projeto de Lei que cria a 'Semana de Mobilização e Incentivo à Doação de Órgãos em Aracaju’.

De acordo com o coordenador da Central de Transplante, Benito Fernandez, e da enfermeira Edna Aragão, Aracaju possui alguns estabelecimentos autorizados pelo Ministério da Saúde para a realização de dois tipos de transplantes: o de coração e de córneas, mas são infelizmente a quantidade de recusa familiar para doação de órgãos é muito alta, por isso a ideia do projeto.

Ainda segundo o coordenador, embora o Brasil ocupe o segundo lugar no ranking mundial desse tipo cirurgia, a lista de espera ainda é grande. “Precisamos sensibilizar todo segmento da sociedade no processo Doação/transplante, pois sem a matéria prima que são os órgãos, o transplante não acontece. Qualquer pessoa pode precisar de um transplante. Todos que estão na lista de espera, nunca se imaginaram nessa situação”, disse o coordenador.

Fernandez ainda alertou sobre a situação dos doentes renais no Estado. “Sergipe possui cerca de 1200 pacientes fazendo hemodiálise atualmente. Os que precisam de transplante, viajam para outras capitais, como São Paulo e Recife. A maioria dos casos, essas pessoas não têm condições financeiras para viajar. A única ajuda é uma diária de R$24,90 , além das passagens aéreas . Fazer transplante de rim em Aracaju seria mais barato até para o SUS", esclareceu.

Seu Marcos agradeceu a confiança e firmou compromisso com os representantes da instituição. “ Estou muito grato em confiar no nosso mandato. Vou submeter o projeto para análise da Casa e cobrar da Administração a sua efetividade. Precisamos prevenir a população e conscientizar sobre a necessidade da doação. O primeiro passo será a realização de uma audiência pública. Convidar os órgãos públicos, a imprensa e a população para tratar sobre o tema”, destacou.