Gestão de Edvaldo é uma bomba e o pavio quem acende é o povo, afirma Emília

por Camila Sousa - Assessoria Parlamentar — publicado 06/12/2023 11h05, última modificação 06/12/2023 11h05
Gestão de Edvaldo é uma bomba e o pavio quem acende é o povo, afirma Emília

Foto: Gilton Rosas

“Já é praticamente a quarta gestão de Edvaldo Nogueira, e ele consegue, com maestria, deixar o aracajuano(a) passar por cada situação humilhante que parece mentira”. Foi com essa frase que a vereadora Emília Corrêa (PRD) sintetizou sua fala, na Tribuna da Câmara de Vereadores, ao fazer uma crítica à atual administração, mencionando, inclusive, vários problemas em setores públicos que se arrastam por décadas.
“É inaceitável que um gestor tenha tantos anos à frente de uma pasta e não consiga concretizar determinadas coisas. Promessas, aliás, de campanha.
Agora, com a proximidade das eleições, tem tentado justificar e solucionar algumas”, declarou a oposicionista.
Um dos exemplos expostos em Plenário por Emília foi feito durante fiscalização na rodovia dos Náufragos, bairro Aruana. Pessoas que utilizam o transporte público passam quase 3h aguardando um ônibus no meio fio, pois o básico: um abrigo, não existe.
“Aconteceu exatamente o que uma das mulheres me relatou durante entrevista. São quase 3h esperando uma única linha passar no local, e , quando ela passa, dificilmente para por causa da lotação. Eles têm que esperar o próximo se quiser seguir viagem”, relatou a vereadora, que capturou a imagem em vídeo.
Ainda em discurso, a vereadora relembrou que a criação de um Centro de Diagnóstico de Imagem foi uma promessa (não cumprida) de campanha de Edvaldo. “É algo que me choca diante da necessidade e, principalmente, porque ele prometeu em suas campanhas. Pensei que seria feito logo no início. A realidade é que preferem pagar, e caro, por um serviço que o município poderia ofertar. Não estamos falando nada de absurdo. Trata-se de algo básico. Em décadas, não foi feito  e com verbas nos cofres públicos. Gestão de Edvaldo se resume em metas não cumpridas e as que, aparentemente foram, são mal feitas”, finalizou.