“Prefeitura de Aracaju tem sido conivente com violência policial na cidade”, denuncia Professora Ângela Melo

por Paulo Victor Melo, Assessoria de Imprensa do parlamentar — publicado 04/11/2021 09h40, última modificação 04/11/2021 10h01
“Prefeitura de Aracaju tem sido conivente com violência policial na cidade”, denuncia Professora Ângela Melo

Foto: Gilton Rosas

Ao repudiar mais um episódio de violência da Polícia Militar de Sergipe, a vereadora Professora Ângela Melo (PT) criticou as atitudes do Governo do Estado e da Prefeitura de Aracaju.

“O silêncio da Prefeitura sobre a ação truculenta da PM de Sergipe contra jovens que promoviam cultura no Bairro Industrial, em solo aracajuano, é emblemático da conivência da gestão municipal com o autoritarismo. Que ‘qualidade de vida’ e ‘cidade inteligente’ há para estes jovens, prefeito?”, questionou.

O fato mencionado pela parlamentar foi tornado público através de um vídeo que demonstra policiais militares reprimindo jovens que realizavam um sarau embaixo da ponte que liga Aracaju a Barra dos Coqueiros, na zona Norte da capital.

“É essa mesmo a Polícia Militar que nós queremos? É tratando a nossa juventude desta maneira? Os jovens artistas costumam dizer que ‘onde não há cultura, a violência vira espetáculo’. Infelizmente é o que está acontecendo em Aracaju e em Sergipe: pela força da repressão policial, a cultura está sendo apagada”, lamentou Ângela.

A vereadora lembrou ainda que este mesmo comportamento da PM foi praticado, por exemplo, nos despejos da Ocupação João Mulungu e do terreno da Telergipe, quando famílias que reivindicam o direito à moradia tiveram direitos violados.

“Estou falando de um conjunto de violências institucionais, executadas por um órgão público, que acontecem em Aracaju, na nossa cidade. Isso significa que ao silenciar sobre estes casos, a Prefeitura – que deve cuidar das pessoas da cidade – é conivente com o autoritarismo”, frisou.