Santana Baião da Penha é o mais novo cidadão aracajuano

por Agência Câmara Aracaju — publicado 01/06/2022 14h20, última modificação 01/06/2022 14h59
Santana Baião da Penha é o mais novo cidadão aracajuano

Foto: China Tom

A Câmara Municipal de Aracaju concedeu na tarde desta terça-feira, 31, o título de Cidadão Aracajuano ao forrozeiro Francisco de Assis Santana Rocha, 54 anos, conhecido no meio artístico como Santana Baião da Penha. A honraria foi de autoria da vereadora Emília Côrrea (Patriotas), tendo a Sessão presidida por Fabiano Oliveira (PP).

Natural da cidade alagoana de Penedo, Francisco é filho de Manoel Sabino Rocha e Maria Santana Rocha. Desde a infância ouvia as músicas de Luiz Gonzaga o que despertou o interesse pela música tradicional nordestina. Aos 13 anos, entrou para o Coral Vozes de Penedo e aos 18 anos participou da banda de Música da Base Aérea de Fortaleza.

Francisco de Assis Santana Rocha chegou em Aracaju em 2001 quando foi transferido para o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Aracaju. No ano de 2005, o artista criou o Forró Baião da Penha para homenagear Luiz Gonzaga.

A vereadora Emília Côrrea revelou a satisfação de homenagear o forrozeiro. "Aos 13 anos, Santana Baião da Penha iniciou sua trajetória artística e não parou mais. Chegou em Aracaju no ano de 2001, quando foi transferido para o Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Aracaju e em 2005 criou o Forró Baião da Penha, onde recebeu diversos prêmios. Acredito que essa cidadania ele já carrega a cidadania no coração, que agora foi referendada por todos os vereadores. Um artista desta tinha que ser aracajuano".

O presidente interino da Câmara, Fabiano Oliveira, destacou a carreira artística de Santana Baião da Penha. "Este artista representa tão bem a música nordestina e carrega Aracaju por todos os cantos. Um grande músico que se destaca por onde passa".

O homenageado não escondeu a emoção de receber o título de cidadão aracajuano. "Fico muito feliz em saber que no dia 31 de maio de 2022 ficará marcado na minha história. Nasci no ano de 1967, tenho nove irmãos e meu pai sempre nos mostrou a música. Meu pai levava meus irmãos para o coral e lá em casa todos amam a música. Criei o Forró Baião da Penha em homenagem a Nossa Senhora da Penha e a Luiz Gonzaga. Sou sergipano de coração porque minha mãe é de Simão Dias".